Vacinas: OMS não deixa cair AstraZeneca

De acordo com notícia da Reuters de ontem, 19-3-2021, a Organização Mundial da Saúde (OMS) exortou o mundo, nesta mesma data, a continuar a administrar a vacina da AstraZeneca, acrescentando a sua voz à dos reguladores europeus e britânicos, após os efeitos de coagulação do sangue verificados.

“Pedimos aos países que continuem a usar esta importante vacina para a COVID-19”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em entrevista coletiva em Genebra.

“A vacina AstraZeneca é especialmente importante porque representa mais de 90% das vacinas distribuídas pela COVAX”, acrescentou Tedros, referindo-se a um esquema global de partilha de vacinas para os países pobres liderado pela OMS.

“Não há dúvida. COVID-19 é uma doença mortal e a vacina Oxford-AstraZeneca pode preveni-la. Também é importante lembrar que a COVID-19 em si pode causar coágulos sanguíneos e plaquetas baixas.”

O comité consultivo global da OMS sobre segurança de vacinas disse num comunicado que a vacina AstraZeneca tinha um “perfil risco-benefício positivo” e “tremendo potencial” para prevenir infeções e reduzir mortes.

O painel da OMS de 12 especialistas independentes, que se reuniu virtualmente terça e quinta-feira passadas, reviu os dados de segurança da Europa, Reino Unido, Índia e banco de dados global da OMS.

“Embora eventos tromboembólicos muito raros e únicos em combinação com trombocitopenia, como trombose do seio venoso cerebral (CVST), também tenham sido relatados após a vacinação com a vacina AstraZeneca COVID-19 na Europa, não é certo que tenham sido causados pela vacinação”, disse.

Recorde-se que os reguladores europeus e britânicos já tinham dito esta semana que os benefícios da vacina da AstraZeneca superam os riscos, levando vários países a levantar as suas suspensões.

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário