Vacinas just-in-time

A África do Sul, um dos poucos países de África seriamente afetados pela Covid-19, com quase metade das mortes do continente africano, já saiu da segunda onda da doença mas ainda só vacinou 0,45% da população até 1-4-2021, dia em que Israel já tinha 55% da população vacinada.

Nesse mesmo dia, Israel tinha 43 novos casos por milhão de habitantes e a África do Sul apenas 19. O número de mortes diárias era de 0,94 por milhão em Israel e 0,87 na África do Sul. Israel recorreu ainda a medidas drásticas de confinamento, bem como a África do Sul. A África do Sul teme uma terceira vaga e muitos médicos estão a prescrever a Ivermectina, parcialmente autorizada pela Sahpra, agência do medicamento sul-africana.

A Ivermectina tornou-se agora popular na África do Sul e é objeto de tráfico no mercado negro: foram intercetados milhões de comprimidos desde o início deste ano, estendendo-se a rede ilícita até à China e à Índia. O preço aumentou de 4 para 60 dólares (15 vezes mais) por cada dez comprimidos.

Ainda não existem sinais claros de que a doença será erradicada quando grande parte da população mundial estiver vacinada, tendo-se até agora apenas verificado menos casos e mortes entre os já vacinados – pese embora a dificuldade da separação dos efeitos da vacina e dos efeitos dos confinamentos.

Com o atual ritmo de vacinação no mundo (apenas 2% estão já vacinados nesta altura), a prometida imunização e o regresso a uma vida normal vai demorar muitos meses ou até anos. E existem dúvidas se será conseguida devido ao prazo incerto de duração da imunidade vacinal.

Ver-se-á quem leva a melhor, se as vacinas ou os medicamentos. Embora esta competição esteja viciada pela ilegalização mundial de toda e qualquer droga promissora, sob o argumento de que não existem estudos consistentes.

Partilhar

Latest comment

  • A África do Sul utiliza e bem a Ivermectina. Podem ver no word meter como estão os países em termos de Covid. Há países como o Peru em que foi o exército que distribuiu, até que houve eleições e mudou o governo., aumentaram os casos.Se há mortes devem ser imputadas à ONU e à OMS, têm estudos mais que suficientes e credíveis, não fazem por corrupção. https://ivmmeta.com/ Há organizações internacionais de médicos e farmacêuticos que têm estudos um dos quais tem link atrás. São a FLCCC e a BIRD. Em Portugal, aguarda aprovação extra bula. Em Loures a Hovione fabrica a Ivermectina, mas não faz cápsulas ou comprimidos, penso que apenas exporta e não pode vender para Portugal. É um medicamento sem patente. Havendo boa vontade e independência em relação à EMA, porque somos um país independente e temos entidade reguladora independente. As vacinas tiveram o problema da incompetência da UE ou interferência de alguns estados, pelo que se pode concluir desta crise que a UE é apenas geografia e mesmo assim no extremo do continente euroasiático.

deixe um comentário