Sobre o passamento de José Eduardo dos Santos…

Ao menos não morreu em território português…

Eis o que se devia escrever – tudo o mais é despiciendo – neste antigo pedaço de terra, a terra dos portugueses, sobre e após o último suspiro de José Eduardo dos Santos, ocorrido em Barcelona a 8 de Julho de 2022.

“Para (e apenas) memória futura:

EPITÁFIO (para a Wikipédia)

Jaz frio e arrefece, até se tornar em pó, José Eduardo dos Santos, ex-cidadão português e traidor à Pátria, nascido na cidade de S. Paulo de Luanda (cidade então portuguesa fundada em 25 de Janeiro de 1576), em 28 de Agosto de 1942.1

Que Deus, o Todo-Poderoso, lhe faça a devida Justiça, já que os homens não o souberam (ou conseguiram) fazer.”

Mas como deixámos de ser um país de portugueses de carácter (e de saber ao que andamos) e com vergonha na cara, assistimos ao circo mediático e político que se vai registando.


João José Brandão Ferreira
Oficial Piloto Aviador (Ref.)

*O autor é contra o acordo ortográfico que querem impor ao povo português e à sua cultura, pelo que se rege pela ortografia correcta.


1 Como, aliás, decorre da ordem jurídica existente.

Partilhar

Latest comments

deixe um comentário