Roger Waters, Ucrânia e parvoíces

image_pdfimage_print

“Infelizmente, Roger Waters, és antissemita até o tutano. E também apologista de Putin, mentiroso, ladrão, hipócrita, sonegador de impostos, sincronizador labial, misógino, doente de invejoso e megalomaníaco. Chega de parvoíces”

Quem assim escreveu, curto e grosso, foi Polly Samson, mulher do cantor David Gilmour (Pink Floyd) e co-autora de algumas líricas do grupo musical.

Gilmour e Roger Waters nunca se deram bem, pese embora o sucesso mundial dos Pink Floyd.

O que os divide é o profundo fosso entre os transtornos ideológicos do senhor Roger e o bom senso e moderação de David Gilmour, fosso esse que explica décadas de conflitos e discussões.

A Ucrânia terá sido a gota de água.

As posições de Waters nesta matéria são, dado o seu carácter alucinado, um apurado papaguear da propaganda do Kremlin só discerníveis das do “nosso” Zeneral Zagostinho Zosta, pelo facto de este ter a mona lisa e o primeiro uma cabeleira exuberante.

O conteúdo da cabeça, esse parece a mesma papa indigesta confeccionada em Moscovo e deglutida sem mastigar por vários papagaios ocidentais.

Senão vejamos:

O senhor Waters, também já com vastas provas dadas no que toca ao profundo ódio antissemita e antiamericano disse, numa entrevista pública, que os discursos de Putin fazem grande sentido e que a razão mais importante pela qual o Ocidente fornece armas à Ucrânia, não é para a ajudar a defender-se da agressão russa mas, voilà, o lucro da indústria armamentista, americana claro.

Para o Roger, todos os presidentes americanos depois da Segunda Guerra Mundial foram uns mafiosos, ao lado dos quais o Putin é um santo do altar porque, garante o cantor, nunca invadiu o Iraque e o Vietname. Nem a Papuásia e o Butão, acrescentaria eu. Como se nota neste brilhante argumento, o Roger aplica, triunfante, a clássica falácia do whataboutismo.

Confidencia a criatura que agora está “mais aberto a escutar “ o que diz o Sr Putin, já que, segundo “fontes independentes” que usa (e disse isto sem se rir), o czar governa com cuidado e decide por consenso, ajudado por intelectuais que lutam contra o imperialismo americano desde a década de 50.

Um verdadeiro benemérito portanto, o senhor Putin, visto pela lupa do Roger Waters.

A visão geopolítica de Waters é épica e definitiva: se a Ucrânia não se resignar à sua condição de “amortecedor”, poderemos ter uma Guerra Mundial. 

Nisto o Roger não transige nem hesita. A Ucrânia, como também diz o Sr Putin, não é um país soberano, mas um “amortecedor”, o seu povo não tem o direito de decidir o seu destino, o Roger é que sabe e não há mais nada a dizer.

Obviamente, a criatura, reitera convictamente as “razões” que a propaganda russa listou para justificar a “operação militar especial”:

Deter o genocídio da população russa do Donbass, e lutar contra o nazismo na Ucrânia.

A convicção papagueadora do Roger é tal que refere orgulhoso um raspanete dado a uma adolescente ucraniana que lhe disse que estava 200% errado. Terá chamado à pedra a rapariga, por viver na Ucrânia e não ver o que o Roger, lá de longe, tem a certeza que acontece já que segue “fontes independentes” que lhe revelam a “Verdade”.

Intuitivo como ninguém, Roger sabe por instinto que os EUA ficariam encantados por destruir a Rússia e depois a China, e tem a certeza disso porque, como diz, com desvanecedora modéstia, “qualquer pessoa com um quociente intelectual acima da média, entende isso quando lê as notícias”.

Aproveitando a entrevista para debitar a sua habitual obsessão, Roger Waters, que deve ter por hobbie injectar ideologia tresloucada e ódio antissemita, directamente na veia, garantiu também que os israelitas são genocidas e que só tem direito a existir nas condições que ele, o grande Roger, achar adequadas. Não diz se entende que deve também ser um “amortecedor”, ou qualquer outra variante menor extraída da genial ciência política do cantor e burilada pelo seu extraordinário quociente intelectual.

Vale mesmo a pena ler a entrevista do senhor Roger Waters, porque está lá, em bruto, toda a sintomatologia da patologia que aflige os alucinados putinófilos, antissemitas e antiocidentais que nos últimos tempos escaparam da vala comum das avantesmas, e se passeiam, livres e inimputáveis, pelas televisões, e restantes media e redes sociais.

Eu subscrevo tudo o que Polly Samson disse e, não tendo bem a certeza do que significa ser “sincronizador labial”, suspeito que se refira ao descarado playback que o Sr Rogers faz da propaganda do Kremlin e das “fontes independentes”.

David Gilmour, aproveitou para colocar sal na ferida, dizendo, de forma gélida que “Cada palavra (da sua mulher) é verdadeira e demonstrável.”

Vai buscar, Roger, há muito que andas a espalhar ódio e veneno, mereces ser exposto por aquilo que és:

Uma cavalgadura!


José do Carmo

*O autor escreve segundo a anterior norma ortográfica.

Partilhar

Latest comments

  • comentário de quem não apresenta argumentos e prefere atacar a pessoa em vez de rebater com factos que a ucrania está a dar cabo dos russos.

    • Refere-se aos comentários do Roger Waters? Ou ao seu comentário?

    • Ou aos comentários de Polly Sansom? Ou ao comentário de Gilmour?

    • Boa tarde
      Até há pouco tempo no ocidente afirmava-se que a Ucrânia ia de vitória em victória… perdendo terreno. Até que perceberam que havia qualquer coisa que não batia certo.

      • Caro ivan, se em vez de papaguear a propaganda do Kremlin, tivesse lido o artigo, teria percebido que o tema é o Sr Roger Waters e não a propaganda russa que lhe mandam debitar.

  • https://www.youtube.com/watch?v=ymV-TF4zryo

    É sabido desde a neblina dos tempos, que a verdade e a censura, andam de mãos dadas.

    • É tb sabido que escrevinhar frases pomposas e gongóricas anda da mãos dadas com ideias do mesmo género.

      • E se as frases se juntarem para formar uma espécie de crónica andarão de mãos dadas com o quê mesmo.

  • Os comunistas adoram a volta da URSS, a volta dos torcionários do KGB como Putin que de miseráveis pequenos oficiais peritos em tortura, se tornaram milionários com o dinheiro do petróleo russo, melhor que isso faz o Dubai aos seus cidadão, mas os russos sempre gostaram de ser oprimidos e a cegueira transformou-os num povo triste.
    O PCP e o BE que por aqui andam sabem o que a maioria dos portugueses e ocidentais sabem, o segundo Holodomor existe apoiado pela CNN, por exemplo e pelo general putinista, faz parte dos generais feitos sem experiência de guerra e são demasiados e incapazes, seguem o caminho dos oficiais de carreira que cobardemente e por interesses corporativos fizeram o 25 de Abril.

deixe um comentário