E assim continua a guerra do gás, onde a União Europeia coloca o banco central russo sob sanções, ainda que este seja substituído por um certo banco russo que, possivelmente, e segundo notícias anteriores, é o banco da própria Gazprom, que por sua vez não enfrenta sanções da UE e funciona como intermediário para chegar ao banco central russo.