Os carros elétricos vão ficar mais caros

Os fabricantes de carros elétricos podem ter de repensar o abastecimento de matérias-primas, já que o aumento nos preços das mesmas devido à invasão da Ucrânia pela Rússia pressiona as suas margens de lucro, escreveram analistas do banco canadense RBC em nota nesta segunda-feira, de acordo com notícia de 14-3-2022, da Reuters.

Os preços das matérias-primas, do petróleo a metais como níquel e paládio, usados na fabricação de veículos elétricos, dispararam com a escalada da crise na Ucrânia.

“Até acender as luzes na fábrica e o transporte de mercadorias custam agora mais e é uma pressão sobre a margem [de lucro]”, escreveu o analista do RBC Joseph Spak na nota.

Um aumento progressivo nos preços das matérias-primas, ao contrário do choque momentâneo, pode tornar-se um problema para os fabricantes, especialmente porque muitos têm uma capacidade limitada de aumentar os preços, de acordo com a nota.

“De qualquer forma, a lição para a indústria de automóveis é repensar as cadeias de valor, especialmente à medida em que a indústria se desloca para os veículos elétricos a bateria”, escreveu Spak, observando que o recente salto nos preços do níquel pode traduzir-se num aumento de US$ 1.000 a US$ 2.000 no custo de uma bateria para um fabricante de carros elétricos.

Uma variedade de preços de matérias-primas, incluindo lítio, níquel, cobalto e cobre, pode mudar “muito” nos próximos anos devido a desajustes entre a procura e a oferta, acrescentou.

Até a líder de veículos elétricos Tesla (TSLA.O) está a sentir um aumento de preços “significativa” nas matérias-primas e na logística, disse o seu presidente-executivo, Elon Musk, no domingo, dia 13-3-2022.

Partilhar

Written by

Sub-diretor do Inconveniente

Sem comentários

deixe um comentário