O rei vai Nu(gueira): saca 15 quilos por mês e critica manifestantes sem máscara

Bruno Nogueira, a quem chamam “rei”, pelos recordes de audiências no Instagram durante a quarentena, no seu direto de ontem, 23-03-2021, vilificou o protesto contra as restrições da pandemia da Covid-19, que juntou três mil pessoas no último sábado, muitas ostensivamente sem máscara. A indignação nas redes sociais foi imediata, especialmente dos manifestantes que perderam rendimentos. Note-se que o humorista, desde julho de 2020, aufere um ordenado de 15 mil euros por mês na SIC.

Nogueira criticou colegas do setor dos espetáculos que estiveram presentes na manifestação, como Sandra Celas, Wanda Stuart, Adelaide Ferreira e Nuno Barroso, os quais têm exposto publicamente a sua oposição às severas medidas de confinamento decididas pelo Governo e Direção-Geral de Saúde (DGS), sofrendo também a censura dos defensores do lockdown estrito. As declarações do cómico podem ser lidas na notícia da Lifestyle, que põe em evidência a seguinte frase:

“A liberdade acaba quando uma pessoa está a pôr em risco a saúde dos outros, na minha opinião.”

As críticas à incoerência de Bruno Nogueira acumulam-se desde o espetáculo com dois mil pessoas na praça de touros do Campo Pequeno, em Lisboa, em junho de 2020, e ao realizado no Coliseu no mesmo mês, ambos autorizados pela DGS.

O novo programa do humorista na SIC chama-se “Princípio, Meio e Fim“. Por ele, Bruno Nogueira recebe um salário milionário, em parte pago, indiretamente, com dinheiros públicos.

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário