O papel do lixo no combate às alterações climáticas!

Como já tenho aqui dito, a teoria do Aquecimento Global irá ser aperfeiçoada com a inclusão da água como principal agente causador do efeito de estufa, efeito que está a conduzir o planeta e os seres vivos indefesos a uma situação calamitosa. Como toda a gente tem obrigação de saber, uma das consequências mais desastrosas que se espera do aquecimento do planeta é a subida de vários centímetros do nível das águas dos mares, submergindo tudo e todos, quais novas Atlântidas do século XXI. E há já quem anteveja a Estátua da Liberdade de Nova lorque e o Cristo-Rei a serem visitados em submarinos. Já se percebe agora a ideia do Paulo Portas ao adquirir dois submarinos para a Armada Portuguesa, submarinos que mais dia menos dia serão vendidos a algum esperto para o negócio das visitas turísticas ao Cristo-Rei, quando o gelo dos pólos e dos glaciares derreter, e as águas galgarem por aí acima, deixando Portugal reduzido à Serra da Estrela e algumas ilhas… como o Castelo de Leiria, por exemplo. Lisboa, Porto, Faro, etc., terão tanta visibilidade como a antiga Aldeia da Luz, tal é o cenário que se pode traçar com base nos dados das imensas comunidades de cientistas que se dedicam a tempo inteiro aos problemas do Aquecimento Global, digo, Alterações Climáticas.

Mas ainda estamos a tempo de inverter a tendência daquela curva taco de hóquei que prova claramente a subida de meio grau na temperatura média dos últimos 100 anos. Poderão achar pouco, mas grão a grão, digo, grau a grau, enchem-se os bolsos, perdão, enchem-se os oceanos de água e é a água que deve preferencialmente ser combatida para evitar o desastre que se avizinha. Arrependei-vos enquanto é tempo!

Como é que nos podemos ver então livres da água? Se nos virmos livres da água, o problema da subida das águas já não se põe porque aquilo que não existe não pode subir também. Estou convencido que, do mesmo modo como há projetos para suprimir o CO2, surgirão também projetos muito válidos para secar a água dos oceanos.

Uma primeira ideia seria começar a bombear água para o subsolo. Todos os poços de onde se tira hoje água seriam invertidos, passariam a poços invertidos que, em vez de produzir água, a absorvem. Mas isso seria apenas uma gota de água nos oceanos, cujas águas não é fácil fazer desaparecer. Não estou a ver essa água toda a sumir-se pelos poucos poços existentes em terra firme, terra que constitui, como se sabe, apenas um terço da superfície terrestre, melhor dizendo, marítima. O melhor de tudo seria evitar que a água dos oceanos se evaporasse para dar origem às nuvens responsáveis pelo efeito de estufa. Poder-se-ia pensar assim em cobrir de tal maneira os oceanos com lixo que ela já não ficasse exposta aos raios solares. Deste modo acabava-se de vez com as nuvens e com o seu famigerado efeito.

Este projeto já está, felizmente, em marcha, como se pode ver na foto acima. Há males que vêm por bem!


Henrique Sousa

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário