Merck corta fornecimento de ivermectina e boicota meta-ensaio

O ramo ivermectina do estudo PRINCIPLE do Reino Unido está “atualmente em pausa devido a problemas de fornecimento temporário”, de acordo com o site do estudo, e segundo artigo publicado em 14-12-2021, da autoria de Jennifer Henderson, redatora corporativa e de investigação do jornal de medicina MedPage Today.

O site do PRINCIPLE não oferece detalhes sobre o que causou as dificuldades de fornecimento de ivermectina ao programa da Universidade de Oxford que está a investigar possíveis tratamentos para COVID-19 na Inglaterra. No site lê-se apenas:

Ivermectin (this arm is currently paused due to temporary supply issues).

“Foi prometida uma resposta completa da equipa de imprensa do estudo, mas até ao momento não havia chegado ao MedPage Today”, refere o artigo.

De acordo com o artigo,

O fabricante de ivermectina Merck (MSD na Europa) não comentou diretamente os problemas de fornecimento que afetam o PRINCIPLE. No entanto, como parte de uma declaração mais extensa via e-mail ao MedPage Today sobre o fornecimento do fármaco, a empresa disse que “concluiu que a probabilidade de a ivermectina fornecer uma opção de tratamento potencialmente segura e eficaz para a infecção por SARS-CoV-2 é baixa e prioriza os esforços internos para o desenvolvimento de candidatos alternativos que proporcionem uma maior probabilidade de sucesso para o tratamento da COVID-19”.

A gigante farmacêutica acrescenta ainda ao MedPage Today:

Se surgirem dados clínicos a fornecer evidências definitivas para uma avaliação de risco-benefício positiva do uso de ivermectina na COVID-19, estamos prontos para fornecer a nossa experiência e recursos conforme necessário”.

No entanto, como poderá haver dados clínicos se a Merck, ao cortar o fornecimento de ivermectina, impede o aparecimento desses mesmos dados?

O Inconveniente, estranhando o atraso na saída dos resultados do ensaio iniciado em junho de 2021, já tinha contactado por e-mail os responsáveis do programa PRINCIPLE, solicitando uma previsão da publicação.

Partilhar

Latest comments

  • A Merck está a desenvolver um novo medicamento* para combater o covid, por que razão irá fornecer o seu medicamento super barato, para combater o covid?
    .
    Pfizer was fined nearly $ 5 billion for healthcare-related offenses and drug or medical equipment safety violation
    https://usareally.com/8550-pfizer-was-fined-nearly-usd-5-billion-for-healthcare-related-offenses-and-drug-or-medical-equipment-safety-violation
    Has the Merck Pharmaceutical Company Killed More People than the U.S. Military or Any Terrorist Organization?
    https://vaccineimpact.com/2020/has-the-merck-pharmaceutical-company-killed-more-people-than-the-u-s-military-or-any-terrorist-organization/
    Até que ponto devemos confiar nestas organizações?
    .
    *https://www.cnbc.com/2021/11/30/fda-advisory-panel-narrowly-endorses-mercks-oral-covid-treatment-pill-despite-reduced-efficacy.html

  • É exemplo da captura das Universidade e dos estudos científicos hoje feitos à la carte, conforme as indicações dos gigantes farmacêuticos, assim como as outrora credíveis revistas e jornais científicos médicos.
    Este é o problema que atravessa o mundo.
    A MSD há anos que não é dona da Ivermectina, por expiração do prazo de vigência, esta substância é fabricada na Índia que a exporta para todo o mundo, sendo um dos maiores se não o maior produtor mundial de medicamentos.
    Portugal fabrica e exporta Ivermectina pela Hovione, no entanto o produto não se encontra comercializado em Portugal, apenas acessível em farmácia como manipulado, conforme receita médica.
    Este estudo foi destruído pelo stablishment onde se pode incluir por exemplo a OMS e a que a Fundação Gates não será alheia, decerto pelo sua extraordinária filantropia exportada para todo o mundo.

    • Boa tarde JLOPES
      Não me estava a lembrar de que a Índia e Portugal, fabricam ivermectina (*), logo, a universidade de Oxford não tem razão para parar com a experiência porque se a merck não fornece, tem outros que a podem fornecer. Para mim é demonstrativo o interesse, ou medo, que existe em demonstrar que a ivermectina ajuda na luta contra o sars-cov-2. É muito barata.

      (*) Em Portugal era de venda livre, agora não há médico que queira passar a receita, foi essa a experiência que tive.

deixe um comentário