Incaprettamento de Medina

* imagem editada via Wikimedia Commons

Pedro Nuno Santos defendeu, quase instantaneamente, o rival Fernando Medina no caso do fornecimento de dados pela CM Lisboa dos manifestantes anti-Putin à embaixada russa, cujo dossiê foi veiculado em 9-6-2021, no Expresso (por Ana França) pelas 20:13 e no Observador (por Miguel Santos Carrapatoso (filho do PCA do jornal, António Carrapatoso) pelas 20:15.

Diz num desses tweets, Pedro Nuno Santos: “A hipocrisia e o cinismo como armas combate político corroem a n/ democracia” (sic). Os quatro tweets do delfim de António Costa foram publicados pelas 3:30 da madrugada de 11-6-2021 e, ao dealbar da aurora, pelas 6:13 já o Sapo divulgava um take da Lusa sobre essas mensagens.

A queixa dos ativistas russos sobre o fornecimento de dados pela CM Lisboa foi enviada para a Câmara mas também para o Ministério dos Negócios Estrangeiros e o Ministério da Administração Interna. Seria interessante conhecer o alinhamento dos ministros Augusto Santos Silva e Eduardo Cabrita na guerra da sucessão socialista.

Como é vulgar na política que os ataques mais insidiosos partam de dentro, o Inconveniente questiona se a filtragem do dossiê da transmissão de dados dos manifestantes anti-Putin à embaixada russa não será um caso de incaprettamento de Fernando Medina por Pedro Nuno Santos, que ainda por cima lhe faz uma espécie de obituário ritual com maliciosa condenação da “hipocrisia e cinismo” políticos…

Partilhar

Latest comments

  • Até pode ser, mas até agora o caso não beneficiou nenhum dos intervenientes xuxas que ousaram opinar !
    – O SS (MNE) contenta-se com um pedido de desculpas por parte do Sr. Visconde.
    – O NS tem tanta sarna para se coçar (TAP & Novo Aeroporto), que nem precisa que caia alguma ponte/viaduto, ou o motor duma locomotiva da CP por falta de manutenção, pelo que devia aproveitar as noites para recuperar energias, pois tem ainda muito a fazer!
    – O caprino de Santarém, já sente os patins, e se o Visconde lhe chuta mais esta batata quente, não tem motivos para sorrir!
    O caso da CML ainda tem muitas pontas soltas por explorar, e pode abrir a caixa de pandora xuxa, expondo a insalubridade destes “tentáculos sócretinos”!
    – O encarregado da protecção de dados (EPD) foi demitido com pompa e tão sumáriamente quanto a pseudo-auditoria!
    Curiosamente foi o único que tomou alguma iniciativa rápida depois de ter conhecimento da reclamação dos activistas, meses depois dela dar entrada na CML! Porquê esse delay ?
    – Curiosamente até à data, ainda não vi identificada a unidade orgânica (UO) responsável pela asneira (o envio dos dados)!
    – Em 2019, foi publicado um documento “A Experiência da Implementação do RGPD no Município de Lisboa” que entre outras coisas mostra a estrutura orgânica da CML , ou pelo menos parte dela (cerca de 170 UO), pois desconfio que a tal UO foi deliberadamente “escondida” do olhar pouco perspicaz do “bode expiatório” (in)Feliciano.
    – É um comportamento típico de organizações de cariz mafioso, pouco dadas à “transparência” e que abominam a tenacidade
    dos informáticos com a mania de querem saber demais sobre o funcionamento das organizações onde trabalham!
    Por isso, tendem a entregar essa responsabilidade a pessoas menos competentes nessa área (Arquitectos e Juristas por ex.)
    – A questão da PD pode parecer apenas jurídica, mas como se há-de ver não é!
    É preciso ser rato e conhecer algumas manhas destes nichos corporativos que gostam de esconder processos, para garantir o seu emprego ou coisa pior!
    – É preciso saber auditar sistemas informáticos para chegar à informação “por baixo da mesa” porque a que vem por cima é geralmente incompleta, poluída e deturpada!
    No caso presente, essa limitação teria sido mitigada pela contratação duma consultora externa (da qual nunca tinha ouvido falar e desconheço). Será que fez um bom trabalho e detectou este processo (envio de dados)?
    Ou será que no meio de tanta poeira e UO’s inúteis, se viram afundados em palha e deixaram escapar o trigo?
    O (in)Feliciano terá certamente bons motivos para “piar”!
    – Porquê focar a pseudo-auditoria no periodo > 2018 (RGPD) ?
    – Desde a lei 10/91 que aquela operação era proibida (com ou sem RGPD, com ou sem EPD)!
    Claro, já é tarde para demitir os asnáticos anteriores, mas ainda é tempo para o actual, e dizer algumas verdades sobre o badocha que o antecedeu!
    É preciso s

    • … É preciso ser-se muito INCONVENIENTE para entrar na “caixa”, enquanto os outros vão atrás do “Não Há” ou em british saloio : “No ah”!

  • Correcção, afinal o EPD ainda não foi exonerado, houve sim um anúncio precipitado do visconde nesse sentido (tal é a pressa), mas vai ter de aguentar os cavalitos, porque a coisa é muito mais complicada!
    – Falta-lhe uma auditoria credível (talvez use a efectuada pela CNPD) para fundamentar a coisa, porque a dele é um nojo que vale zero!
    – Falta-lhe abrir um processo disciplinar (o bode expiatório tinha vincolo), com direito a defesa, e podem aparecer esclarecimentos a questões relevantes, tais como :
    – Como é que aquele processo de envio de dados escapou ao levantamento feito pela LCG ?
    – “Escapou” ou foi sonegado?
    – Só espero que a LCG seja ouvida e não entre em acordo com o visconde, porque esse tem os dias contados e não vai arranjar mais negócios a ninguém!
    – Aliás, se o visconde se sente no direito de delegar no EPD, será que o EPD ao contratar a LCG também delegou alguma responsabilidade?
    Moedas, se falhas este objectivo, podes fazer as malas e emigrar! Eu só não o faço porque já estou velho!

Post a Reply to Velho do Restelo Cancel Reply