Falta de água: perigo real para a vida no planeta

O planeta Terra já terá perdido um quinto da água que chegou a ter (-26%), concluiu o estudo “Composição isotópica e volume dos primeiros oceanos da Terra”, de Emily C. Pope, Dennis K. Bird e Minik T. Rosing, publicado no PubMed a 5-3-2012.

Por evaporação?

Não, o ciclo da água faz com que o vapor, ao atingir as altas camadas da atmosfera, arrefeça e condense, formando nuvens que originam chuva ou neve, regressando assim à superfície.

A atual preocupação dos poderes globais ocidentais (veiculada pela imprensa dominante) relativamente à concentração de um gás residual na atmosfera – o tão falado CO2 –, fez-nos pensar no perigo para a vida no planeta que seria o eventual desaparecimento da água da sua superfície.

A falta de água doce afeta diversas regiões do globo, mas a grande quantidade de água existente nos oceanos tranquiliza-nos quanto ao futuro, uma vez que a água doce tem neles a sua origem, num ciclo mais ou menos regular, e não se pensa que um dia aqueles possam secar.

Então como é que o planeta perde água?

Gases leves como o hidrogénio e o hélio escapam-se para o espaço. Até mesmo o oxigénio pode escapar-se, embora em volume muito inferior. Por seu turno, o hidrogénio, sendo um dos componentes da água (H2O), forma-se a partir desta quando alguns outros elementos como os metais nela se oxidam.

Sendo o hidrogénio o mais leve de todos os gases, é impelido para as altas camadas da atmosfera, acabando por se escapar para o espaço. Ao escapar já não pode recombinar-se com o oxigénio para produzir a água de que resulta. E assim a Terra vai tendo cada vez menos água.

A água cobre 71% da superfície terrestre, mas é, na verdade, uma substância rara que representa apenas 0,02% da massa total da Terra. Desempenha, todavia, um papel crucial na existência da vida. Sem água, a Terra seria, com toda a probabilidade, um planeta morto como outros.

Assim, os autores do estudo acima referido, baseados nos resultados de uma pesquisa dinamarquesa que mostra que as proporções de isótopos de hidrogénio têm mudado ao longo do tempo, concluíram que a água que cobria a Terra no alvorecer dos tempos continha mais do isótopo mais leve do hidrogénio (que mais facilmente se escapa) do que do isótopo mais pesado (deutério).

Ao examinar como a proporção desses isótopos mudou, foi possível determinar que, ao longo de cerca de quatro mil milhões de anos, os oceanos da Terra perderam cerca de um quinto da sua massa original.


Henrique Sousa

Partilhar

Written by

Sub-diretor do Inconveniente

Latest comments

  • “Mais não digo para não influenciar ninguém.
    Deixo, contudo um link que pode ser útil:”
    lol Adorei lol

  • Penso que vai gostar de ouvir lol
    ‘You Just Lied’ Elon Musk Slaughters BBC Reporter In Live Interview
    https://odysee.com/@Starseed:6/'You-Just-Lied'-Elon-Musk-Slaughters-BBC-Reporter-In-Live-Interview:2

deixe um comentário