Energia: Europa encostada à parede

A Rússia pode cortar totalmente o gás para a Europa, como forma de pressão política por causa da crise na Ucrânia, disse o chefe da Agência Internacional de Energia (AIE) nesta quarta-feira [22-6-2022], acrescentando que a Europa precisa preparar-se agora, segundo notícia de 22-6-2022 da agência de notícias Reuters.

“Eu não descartaria que a Rússia continuasse a encontrar diferentes problemas aqui e ali e continuasse a dar desculpas para reduzir ainda mais as entregas de gás à Europa e talvez até mesmo cortá-la por completo”, disse o diretor executivo da AIE, Fatih Birol, em comunicado enviado à Reuters.

“Esta é a razão pela qual a Europa precisa de planos de contingência”, acrescentou Birol, dizendo que uma recente redução dos fluxos pode ser uma tentativa de obter influência política antes dos meses de inverno de maior procura.

A AIE não vê o corte total como sendo o cenário mais provável, acrescentou.

A União Europeia sancionou o petróleo e o carvão russos, mas impediu a proibição das importações de gás devido, em parte, à sua forte dependência do abastecimento de Moscovo.

Em termos de investimento total em energia para 2022, a AIE disse num relatório que 2,4 bilhões de USD já foram investidos no setor este ano, incluindo gastos record com renováveis. Mas acrescentou que ficou aquém de preencher a lacuna da oferta e de combate às mudanças climáticas.

Uma subida de 8% em relação ao ano anterior, quando a pandemia foi mais severa, o investimento incluiu grandes aumentos no setor elétrico e esforços para reforçar a eficiência energética, disse no seu relatório anual de investimentos publicado na quarta-feira.

O investimento em petróleo e gás, além de atrasar os esforços para atingir as metas climáticas, não pode responder à crescente procura, se os sistemas de energia não forem reconstruídos em direção a uma tecnologia mais limpa, disse ele.

“Os gastos de hoje em petróleo e gás estão ligados a duas visões diferentes do futuro: muito altos para uma caminhada para a limitação do aquecimento global a 1,5 graus C, mas insuficientes para satisfazer a crescente procura num cenário onde os governos mantêm as configurações políticas atuais mas não cumprem as suas promessas climáticas”, disse a agência.

Partilhar

Written by

Sub-diretor do Inconveniente

Latest comment

  • Por mim o título seria; Europa encostou-se à parede.
    Claro que os responsáveis vão continuar a ter uma vidinha confortável.
    Vão continuar a vender a banha da cobra, para que o resto da população não se aperceba.

deixe um comentário