De bestas a bestiais

*Imagem editada

O chefe de Estado, ao anunciar em 27-4-2021 que não ia haver novo estado de emergência, agradeceu ao povo português:

Estou-vos grato por este ano e dois meses de corajosa e disciplinada resistência“. Consciente de que “cada abertura implica mais responsabilidade e que os tempos próximos serão exigentes”, Marcelo acredita na “sensatez e solidariedade” da população, “numa luta que é de todos e nessa luta temos de poder contar com cada um de nós”.

Agradeceu ainda aos profissionais de saúde, os maiores heróis, aos especialistas, ao Governo. Faltou uma palavra de alento a outros heróis, os que perderam empregos, negócios, as suas empresas. Terá sido esquecimento?

Mas os portugueses já estão habituados. Se as coisas correm mal, a culpa é deles. Mas quando correm bem, passam a ser heróis.

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário