Crise energética: Rússia ciente da fraqueza da UE

A Rússia está pronta para um duro confronto com a União Europeia no setor de energia, se necessário – disse o diretor do Departamento de Cooperação Europeia do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Nikolai Kobrinets, segundo notícia de 12-3-2022 da agência de notícias russa Interfax.

“A Rússia continua a ser um fornecedor confiável, um garante de segurança energética de classe mundial. Valorizamos essa reputação, mas estamos prontos para um duro confronto no setor de energia, se houver necessidade. Acredito que a União Europeia definitivamente não lucraria com isso , porque temos uma margem de segurança maior e nervos mais fortes”, disse Kobrinets à Interfax em entrevista.

A Comissão Europeia importa cerca de 45% do gás russo, 25% do petróleo e 45% do carvão, “portanto, Bruxelas deve compreender a posição vulnerável em que se encontra”, disse o diplomata russo de alto escalão.

A julgar pelas declarações de representantes da UE, a Europa pretende tornar-se independente das fontes de energia da Rússia “a qualquer custo”, e “os contribuintes europeus comuns, não os altos burocratas europeus, terão que pagar esse custo”.

Os planos da UE de renunciar às fontes de energia russas incluem a criação de projetos de geração de hidrogénio e o desenvolvimento de fontes alternativas de energia, o que levará tempo e investimentos, disse Kobrinets.

“Esses planos não são muito racionais do ponto de vista estritamente económico. Os mercados globais de energia estão a passar por turbulências, senão mesmo pânico. Não se sabe até que ponto os preços chegariam. Mas já é claro que os estados membros da UE terão que pagar três vezes mais, ou até mais, pelo gás, petróleo e eletricidade. Esta é a escolha deles.”

Partilhar

Written by

Sub-diretor do Inconveniente

deixe um comentário