Costa, o hidro-génio!

Foi no tempo de António Costa como presidente da Câmara Municipal de Lisboa, entre 1-7-2007 e 6-4-2015, que começou a proibição de circulação de carros com matrículas antigas. Embora legalmente não fosse da competência da câmara municipal proibir a circulação de automóveis.

Agora, enquanto primeiro-ministro, pretende avançar com projetos de hidrogénio de grande escala, como o de Sines, entre outros.

Seria, então, o seu mentor desta tecnologia, o seu amigo e visita mútua de casa com sua mulher, Luísa Araújo, o atual czar do hidrogénio, António Costa Silva – o tal que afirmou, em 30-5-2021, não conhecer o atual primeiro-ministro?…

A SIC noticiava, a 3-7-2011, a proibição de circulação na baixa de Lisboa de carros com matrícula anterior a junho de 1992 e sem catalisador. A instalação de catalisador custava, na altura, 600 euros. Numa primeira fase foi definida uma zona interdita, chamada Zona de Emissão Reduzida (ZER), que foi sendo alargada posteriormente.

No ano seguinte, em outubro de 2012, foi constituída a empresa portuguesa Ultimate Cell. Esta empresa inventou um dispositivo ecológico que, alegadamente, reduzia as emissões dos motores dos carros.

Tinha a vantagem de ser mais barato que os catalisadores exigidos anteriormente pelo então presidente da CMLisboa – só custava 250 euros – e prometia, além disso, uma redução do consumo de combustível dos carros com ele equipados de 15 a 30%.

Todavia, tal característica de redução de consumo não viria a ser confirmada por testes independentes. O dispositivo permitia melhorar a queima no motor e foram medidas reduções de certos poluentes, mas a redução de consumo terá ficado entre 2,6 e 2,9%, muito abaixo da reivindicada inicialmente pela empresa.

Já a 15-1-2015, a CML de Costa proibia a circulação na ZER de carros de matrícula anterior a 2000, exceto se estivessem equipados com o dispositivo da Ultimate Cell, devidamente montado e certificado.

O dispositivo consistia num eletrolisador de hidrogénio.

A Ultimate Cell, com o sucesso alcançado pelo dispositivo aprovado pela CML, passou a comercializar modelos maiores daquele dispositivo, para camiões, barcos, etc., e expandiu o negócio com unidades cada vez maiores. Passou a exportar e formou parcerias com empresas estrangeiras, sendo hoje uma empresa de referência no ramo.

Como se vê, o assunto não é novo para Costa, o hidro-génio que mete água nesta tecnologia.

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário