Chineses podem agora ter três filhos. Portugueses registam 2,3 milhões de… cães!…

O The New York Times noticiou em 31-5-2021, que o Partido Comunista Chinês (PCC) já autoriza três filhos por casal, com o intuito de reverter o declínio da taxa de natalidade e evitar uma crise demográfica.

A política do filho único foi lançada na China em 1979 com o alegado propósito de proporcionar melhores condições de vida aos chineses.

Quando Xi Jinping chegou ao poder, em 2003, a lei foi alterada para dois filhos por casal e agora, contra a opinião de especialistas que defendem que já não se justifica qualquer limite, o mesmo Xi Jinping altera a lei para três filhos por casal. A esta decisão não será estranha a necessidade de mão-de-obra jovem que escasseia, não só na China como no mundo dito civilizado.

Os casais chineses com mais de um filho (ou dois, depois de 2003) viram-se obrigados a esconder os excedentes para não sofrerem graves sanções ou, pura e simplesmente, descartavam-se deles.

Em Portugal, onde nunca houve limites para o número de filhos, o Índice Sintético de Fecundidade (ISF), segundo a Pordata, baixou de cerca de 3 em 1960 para 1,42 em 2019. O ISF é o número de filhos por mulher em idade fértil.

Em contrapartida, enquanto na China os cães são animais de abate para alimentação, em Portugal são animais de estimação, havendo mais de 2,6 milhões registados – 2,3 milhões deles cães (90%).

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário