Bits que valem milhões

Num artigo anterior do Inconveniente, já tínhamos noticiado que um vídeo de dez segundos foi transacionado por 5,5 milhões de euros, que pretendia ser uma sátira sobre o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump.

A transação de obras digitais sob a forma de NFT (tokens não fungíveis) é uma moda que está a difundir-se nos meios digitais. Estas transações fazem-se também pagando em bits, isto é, com moeda digital virtual. Mas esta pode, porém, ser convertida em moeda real e vale cada vez mais.

Isto é possível graças à técnica de blockchain que autentica os originais e torna “únicos” esses objetos transacionáveis, como se de verdadeiras obras de arte se tratassem.

Notícias de transações de vários milhares de dólares são cada vez mais frequentes, principalmente tratando-se de temas polémicos ou escândalos envolvendo figuras públicas, pornografia, etc.

Veja-se por exemplo a “obra digital” Leave Britney Alone, que, depois de se ter tornado viral no youtube em 2007, foi agora vendida a 12-4-2021 por mais de 41 mil dólares (34,2 mil euros), depois de ter sido registada como NFT pelo seu autor, Chris Crocker.

Veja-se ainda mais um exemplo, um filme pornográfico que foi vendido inicialmente por 17 mil dólares e que, menos de 12 horas depois, foi recolocado à venda por 260 mil dólares.

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário