As costas largas das alterações climáticas

A polícia italiana prendeu dois agricultores na Sicília em 14-8-2021, sob suspeita de serem os responsáveis por incêndios florestais recentes destinados a criar pastagens para as suas ovelhas, e disse que os dois planeavam outro grande e perigoso incêndio.

Os incêndios florestais atingiram áreas do sul da Itália, ajudados pelas altas temperaturas e devastando florestas na Calábria e nas ilhas Sicília e Sardenha.

A polícia em Siracusa, sudeste da Sicília, uma região onde as temperaturas atingiram quase 49 graus Celsius na quarta-feira, disse que as investigações provaram que os suspeitos foram responsáveis por dois (pelo menos) de uma série de incêndios naquela área em julho.

O ministro da Transição Ecológica, Roberto Cingolani, disse que pelo menos 70% dos incêndios florestais neste verão foram iniciados deliberadamente ou por descuido. A polícia surpreendeu, num vídeo, um homem a atear fogo a um arbusto seco no interior de Nápoles.

As autoridades citam vários motivos para os incêndios florestais criminosos, desde a limpeza de terras para pastagem ou construção, a pedidos de seguro e até mesmo à criação de horas extra para os bombeiros.

A polícia disse que as suas gravações das conversas dos dois homens mostraram que eles planeavam um novo incêndio no domingo para limpar uma área muito maior de terra “com consequências inimagináveis para o meio ambiente, a ordem pública e a segurança”.

Porém, os meios de comunicação dominantes insistem em atribuir culpas às alterações climáticas pelos incêndios e outras catástrofes oportunas, alinhando com agendas políticas obscuras.

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário