Ai flores do verde Pinho

Ai flores, ai flores do verde Pinho
Se sabedes novas do meu amigo?
Ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde ramo
Se sabedes novas do meu amado?
Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amigo
Aquel que mentiu do que pôs conmigo?
Ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amado
Aquel que mentiu do que mi há jurado?
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é? Vós me preguntades polo voss’amigo
E eu bem vos digo que é san’e vivo
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é? Vós me preguntades polo voss’amado
E eu bem vos digo que é viv’e sano
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é? E eu bem vos digo que é san’e vivo
E será vosco ant’o prazo saído
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é? E eu bem vos digo que é viv’e sano
E será voscant’o prazo passado
Ai Deus, e u é?
Ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde Pinho

D. Dinis, cerca do ano 1300

Partilhar

Written by

Sub-diretor do Inconveniente

Sem comentários

deixe um comentário