Acórdão de Tancos (3) – o amnésico Azeredo

Por ser do interesse público, o IИCONVENIENTE publica um terceiro excerto do acórdão, de 7-1-2022, do Tribunal Coletivo do Juízo Central de Santarém (p. 554) sobre o processo de furto de armamento nos paióis de Tancos, que absolveu o ex-ministro da defesa, e professor universitário de Direito, José Azeredo Lopes do crime de abuso de poderes relativamente à investigação paralela (e negociação) da Polícia Judiciária Militar (PJM).

“Este arguido referiu também que nunca mais se lembrou deste assunto, após a comunicação que lhe foi feita por parte do seu chefe de gabinete, pois a questão que o preocupava, nessa altura, prendia-se antes com a utilização das Forças Armadas na Gestão dos meios aéreos no contexto de incêndios florestais, na decorrência do incêndio de Pedrogão.”

O ex-ministro Azeredo Lopes “nunca mais se lembrou deste assunto” da investigação da PJM, e da negociação com os bandidos para a recuperação do armamento roubado em Tancos — uma insignificância que lhe podia custar a demissão e um processo-crime, como custou…

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário