Abalo sísmico em Wall Street

Tendo há uns anos estado profundamente envolvido no mercado de acções, como day trader, sei que o que move os mercados de acções é fundamentalmente a psicologia, neste caso assente nas emoções básicas do medo e da ganância.

Medo de perder dinheiro e simultaneamente a expectativa de ganhar facilmente. A adrenalina que acompanha este jogo é imensa.

Sei também que os grandes investidores, organizações com grande liquidez, agem muitas vezes de forma deliberada para determinar artificialmente a tendência do mercado e fazer assim o seus lucros, restando aos pequenos investidores tentar surfar a onda que os grandes criam, apostando na tendência, ganhando e saindo rapidamente.

Mas na semana passada algo de novo e profundamente perturbador causou um abalo telúrico em Wall Street.

Um grupo informal de pequenos investidores com base no Reddit, conseguiu influenciar em seu proveito a tendência de várias acções, numa acção concertada contra o controlo exercido pelos poderosos hedge funds.

Tudo começa com o conceito de “short selling”. Um investidor entra “short”, vendendo uma acção que pediu emprestada à corretora, digamos por 10 dólares. Acredita que o preço vai baixar e quando estiver a 5, compra-a e  “devolve-a” à corretora, ganhando 5 dólares por acção. Todo este processo decorre em décimos de segundo. Quando o investidor dá uma ordem de venda de um stock que não possui, carregando num botão da plataforma de trading, a ordem é executada imediatamente, assumindo a corretora que houve um pedido de empréstimo. A venda é exactamente igual. Na realidade, as acções reais não saíram do sítio.

“short selling” não tem relevante valor económico positivo para economia real, exceptuando a utilização como ferramenta de protecção face a oscilações imprevisíveis do mercado. Basicamente é uma forma especulativa de ganhar dinheiro com o mercado a descer.

Embora proibido ou fortemente regulamentado em alguns países, é perfeitamente legal nos EUA, sujeito todavia a circunstanciais intervenções extraordinárias do regulador, face a movimentos demasiado violentos.

Não parece haver, a nível politico, grande interesse em restringir o uso deste instrumento, porque os hedge funds, que o utilizam de forma intensiva, recolhem capitais de gente muito rica e influente nos bastidores políticos.

Por exemplo, na nova Administração Biden quase toda a gente tem ligações ao establishment financeiro, a começar pela nova Secretária do Tesouro (Ministra das Finanças), a senhora Janet Yellen que, nos últimos dois anos, recebeu mais de 7,2 milhões de euros de organizações como o Citibank, Goldman Sachs, Google, UBS, Citadel LLC, Barclays, Credit Suisse, Salesforce, etc, a título de pagamento por palestras, discursos e conferências. Uma parte substancial desta quantia (800 000 dólares) foi paga pela Citadel, uma das organizações directamente envolvidas neste caso.

Mas afinal o que se passou?

Um conjunto informal de mais de 2 milhões de investidores independentes, agrupados num grupo Reddit denominado Wall Street Bets, descobriu que alguns hedge funds planeavam o short selling da Gamestop, uma obscura companhia de vendas a retalho.

Ora se um grande fundo começa a vender em short selling o preço da acção tende a baixar por excesso de oferta e cria uma tendência de descida que é seguida pelos investidores independentes, os quais vendem com medo de perder ainda mais dinheiro. Alcançado o preço baixo desejado, o hedge fund compra as acções, devolve-as às corretoras, e ganha biliões de uma penada.

Neste caso, o grupo do Reddit, em vez de agir como uma manada que foge do lobo, fez frente ao predador e começou a comprar em grandes quantidades (mais de 20 biliões de dólares), fazendo com que a pressão de compra fosse maior que a da oferta. Acções a subir, mais investidores a juntar-se a um stock em subida meteórica, e um preço que acabou por subir mais de 1000%.

Os hedge funds que, pelo imenso capital de que dispõem controlam e manipulam constantemente o mercado, viram-se subitamente no papel de presas.

Apanhados de surpresa pela manobra concertada, quando tiveram de devolver as acções, foram obrigados a comprar as que havia por preços altíssimos. Muitas outras não conseguiram mesmo comprar, perdendo todo o dinheiro. As perdas dos hedge funds foram catastróficas.

Alguns dos investidores do Reddit ficaram ricos do dia para a noite e acima de tudo enviaram, como parece ter sido também o seu propósito, uma mensagem poderosa às elites políticas e económicas.

A reacção não se fez esperar.

Sob pressão dos hedge funds, a Robinhood, uma das plataformas de trading usadas pelos pequenos investidores, suspendeu a transação das acções da Gamestop. Seguiu-se a Interactive Brokers, e outras.

A suprema ironia é que a Robinhood se apresenta a si mesma como uma plataforma “inclusiva”, de valores “progressistas”, um porto seguro num mar de “ganância capitalista” e até apoia o grupo Black Lives Matter, porque fica bem.  

Outras plataformas online, como a Discord, baniram o grupo Wall Street Bets, alegando, não o facto de estas pessoas terem derrotado os hedge funds no seu próprio jogo, mas, voilá, o “discurso de ódio”.

Hoje em dia, não há melhor táctica para cancelar e banir do que invocar os interditos da nova moral. A CNN, pela boca do seu editor Chris Cillizza, declarou prontamente que era o “trumpismo” que estava por detrás da meteórica subida do preço da Gamestop.

E sendo isto etiquetado como “trumpismo” ou “discurso de ódio”, a elite financeira e política pode intervir de forma corporativa, alterando as regras, e cancelando esta gente que se atreveu a jogar igual num terreno que não lhe estava destinado.

Mas este pode ter sido um ponto de não retorno.

Por muito controle que as elites e corporações tenham, a informação disseminada faz com que cada vez mais pessoas comecem a perceber as regras do jogo e forcem a sua entrada nas mais exclusivas mesas da póker.

O Estado do Texas juntou-se à luta e lançou 13 investigações cíveis à DiscordRobinhood , Citadel e outras, alegando, segundo o Procurador Geral Ken Paxton, que “as corporações de  Wall Street não podem limitar o acesso público ao mercado livre, nem censurar a discussão sobre o tema, particularmente em seu proveito. A aparente coordenação entre hedge funds, plataformas de trading e servidores web para aniquilar ameaças ao seu domínio do mercado é chocantemente sem precedentes e errado. Cheira a corrupção”.

Tem razão, o Estado do Texas. Isto não é capitalismo.

Os monopólios, os corporativismos, os negócios patrocinados por favores políticos, os abusos de posição dominante, o cartel, são a antítese do capitalismo, entendido como mercado livre, sujeito às regras de funcionamento que o tornem eficaz e fiável (regras essas vigiadas e aplicadas pelo poder do Estado).

Não é capitalismo a mera “auri sacra fames” que existiu desde que emergiram as sociedades urbanas, na longínqua Suméria.

O capitalismo, esse sistema resiliente que faz crescer sociedades e melhorar as condições de vida, é outra coisa  bem diferente e por isso só surgiu numa determinada época recente, e num dado contexto cultural e geográfico, como Max Webber salientou em “A ética protestante e o espirito do capitalismo”

Esse capitalismo que a todos beneficia, exige um Estado de Direito, forte nas suas funções de garante das regras do sistema. Não há capitalismo em países onde o Estado não existe, ou onde existe em demasia.

É isto então o chamado “capitalismo selvagem”?

Não existe tal coisa. Juntar o adjectivo “selvagem”, à palavra “capitalismo” é como falar de uma faca sem lâmina à qual falta a pega.

Isto é pura ganância e abuso de poder. E este pode ser um momento de clarificação.   

José do Carmo

Partilhar

Latest comments

  • Caro JC, não sendo entendido no assunto desde já agradeço a linguagem acessível usada.
    É sempre estimulante ver os arrogantes dominadores serem batidos no seu terreno jogando segundo as suas regras, mas este caso tem contornos deveras intrigantes :
    » Reunir 2M de investidores independentes não me parece coisa pouca.
    » Disponíveis, e com disponibilidade financeira para enfrentar os grandes.
    » Mantendo-se firmes e coesos até atingir o objectivo, sem fugas de informação, não é nada fácil…

    Por isso, no meu estilo céptico, sou levado a pensar que esse grupo deve ter um grande líder ou tem ajuda divina 🙂
    Por outro lado, será que o nível de regulamentação nos USA é tão baixo que não penaliza o acesso a informação privilegiada ?
    Sim sou leigo, mas o conhecimento da operação por parte do Reddit é um grande trunfo!

    Votos de muito sucesso para o projecto “inconveniente.pt” .

  • Olá! Bom artigo, elucidativo para leigos como eu. Só um pequeno reparo: “corretor” é diferente de “corrector”.

  • Só mais uma coisa, e importante: parabéns pelo projecto e votos sinceros de que prospere!

  • Ana Matos, obg pela correção.. Não passei corrector,😉.
    Velho do Restelo, sim houve líderes a dar força e a disseminar a informação em tempo real. A informação disponível é legal. Basicamente consiste em notícias que surgem em sites ligados ao mercado e que dizem coisas aparentemente inocentes como ” espera – se que os lucros da empresa X, estejam abaixo das expectativas “.. Num certo contexto, é o sinal.

deixe um comentário