A Rússia usará armas nucleares?

Num cenário meticulosamente preparado para a TV, Putin dá indicações aos seus generais para que as forças nucleares entrem em alerta, porque “os países ocidentais estão a fazer coisas desagradáveis” e a dizer coisas “agressivas” contra a Rússia.

Em simultâneo, ameaça a Suécia e a Finlândia de “sérias consequências” se aderirem à NATO, envia 4 aviões para violar o espaço aéreo sueco e exige “garantias de segurança” aos dois países nórdicos.

No exercício Zapad 21, levado a cabo na Bielorrússia há poucos meses, foi simulado um ataque a alvos da NATO, com mísseis nucleares tácticos, naquilo que os russos designam por “escalar para desescalar”.

Em 2017, o parlamentar russo Vyacheslav Alekseyevich Nikonov disse com toda a clareza que a Rússia usará meios nucleares para impedir interferências nas acções da Rússia.

Em 2015, numa conferência sobre segurança, Alexander Vershbow, antigo embaixador americano na Rússia e actual vice-secretário geral da NATO, respondeu a esta mesma questão com um “Yes: a short answer is yes”.

Nos últimos dias é claramente notado o escalar da retórica nuclear por responsáveis russos.

Há aqui um padrão!

Por outro lado, a Rússia tem dez vezes mais armas nucleares tácticas que os EUA, os meios para as lançar e uma doutrina de uso. De algum modo, os russos acreditam poder controlar as consequências, isto é, numa situação de desvantagem ou dificuldade no terreno, lançar uma arma táctica para intimidar o inimigo e obrigá-lo a recuar ou desistir. É exactamente porque conceptualizam o seu uso, que acumularam tantas no seu arsenal.

Este quadro de factos aponta claramente para a elevada probabilidade de os russos utilizarem armas nucleares tácticas em situações relacionadas com a guerra de conquista territorial que lançaram na Ucrânia.

Todavia, perante tudo isto, Biden, mais uma vez, pestanejou e projectou a habitual fraqueza que, na minha opinião, deu à Rússia a luz verde para avançar sobre a Ucrânia: cancelou um teste de mísseis ICBM!

É a estratégia habitual do apaziguamento que, nas nossas vidas reais, funciona com a maioria das pessoas, mas não com sociopatas e indivíduos agressivos e perturbados.

Mas será Putin como a maioria das pessoas?

Na minha opinião, não se pode contar com isso. Alguém que funda a sua visão do mundo numa filosofia megalómana sobre a “Grande Rússia”, bebida no filósofo fascista Ivan Illyin, é uma espécie de D. Quixote, imune à realidade que não se conforme com a sua grandiosa visão. É como um Adolfo Hitler, inebriado pelo sonho de um Reich dos Mil Anos. É um utópico em missão e capaz de subir aos extremos em função dela.

Mas é tudo isso, com esteroides, porque tem na mão poderosos instrumentos de poder que incluem armas nucleares.

E, não sendo psicólogo, não me custa reconhecer em Putin a inteligência, a inexpressividade emocional, o isolamento, a megalomania, o narcisismo, a progressiva desconexão com qualquer realidade que não esteja de acordo com as suas construções mentais.

Um homem destes é um fanático, como Hitler, Pol Pot, etc., não volta atrás, não se detêm perante os eventuais prejuízos causados a terceiros, incluindo o povo russo.

Um homem assim, e dotado de poder, é perigoso e será perfeitamente capaz de dar a ordem nuclear, sem qualquer sobressalto.

Poderá a ajuda militar de vários países à Ucrânia servir como pretexto? Poderão o falhanço da Blitzkrieg, a resistência ucraniana, as sanções e o isolamento, catalisar uma fuga para a frente?

Convém saber que uma pequena arma nuclear táctica, digamos de 10 Kt, será como a bomba utilizada em Hiroshima e arrasará tudo num raio de quase dois quilómetros, mas o problema é que, contrariamente ao que os russos pensam, uma vez usada, a subida aos extremos é praticamente inevitável.

Assim sendo, quer queiramos quer não, o Ocidente está perante uma ameaça clara e credível e a única opção sensata para enfrentar o problema, não é recuar e apaziguar, mas sim ressuscitar a estratégia que manteve a paz durante a Guerra Fria: a Mutually Assured Destruction (MAD), ou seja, a neutralização das forças nucleares do adversário, pela certeza de que em caso de ataque nuclear haverá uma resposta massiva do mesmo género.

O que Biden devia e deve fazer é exactamente o contrário do que fez: elevar o estado de alerta do arsenal americano e fazer saber a Putin, com toda a clareza, sem “mas” nem “ses”, que qualquer uso de uma arma nuclear, implicará uma resposta do mesmo tipo.

Há que dizer aos russos que “escalar para desescalar” é uma fantasia, é dançar na borda do abismo, e que uma vez o génio nuclear fora da lâmpada, não há limites.

Levar Putin a sério, implica ser sério e credível no traçar das linhas vermelhas.

“The russians love their chidren too”, cantava Sting, mas Putin é apenas um homem, eventualmente um sociopata, pelo que talvez só os Sanchos Pança da sua entourage, sejam capazes de perceber a enormidade da equação que a MAD apresenta e talvez, talvez, alguns ajam no sentido de se livrarem do louco fanatizado.

Se Biden não fizer isto, se insistir em fugir, apaziguar e acobardar, na minha opinião, a Rússia irá fazer aquilo que todos os indícios sugerem: usar armas nucleares num destes dias!


José do Carmo

*O autor escreve segundo a anterior norma ortográfica.

Partilhar

Latest comments

  • Depois o Trump é que era doido, as saudades que começam a ter dele.

  • Biden não tem força nem espírito ou sequer capacidade mental, se alguém controla os democratas é Obama e o seu grupo que tem desestabilizado e destruído a economia americana, de objectivos inconfessados.
    Desde a retirada do Afeganistão e com o domínio permitido do Pentágono sugerindo falta de objectivos claros, os USA, ao momento, estão nas mãos de gente da extrema esquerda gramsciana e da cultura “Woke”, exportada para a Europa pelas universidades americanas corrompidas e minando o poder dos USA como potência.
    A aliança dos democratas no poder e a aliança com os moribundos neocons, demonstram onde poderá chegar a decadência dos USA que acompanha a decadência do Ocidente e da UE, tornando a NATO uma aliança muito enfraquecida, se não em decomposição por também se encontrar orfã de princípios porque não evoluiu dos motivos da sua fundação.
    Escrito no Tm.

  • Partilho dos seus receios e das suas ideias expressas no artigo.

  • Ao momento a única hipótese é fazer o que têm feito com terroristas.
    Putin deixou de ser um Chefe de Estado para se tornar um terrorista, mais a e
    “Entourage” de generais e conselheiros militares e políticos. Estou em crer que Putin deve estar algures num esconderijo, mas decerto os Serviços de Inteligência ocidentais devem saber onde está.
    Por outro lado o blackout informativo que muitos defendem como a CNN e a UE serve os interesses do grupo de Obama e da China.

  • Não há justificação para este aumento brutal dos combustíveis em Portugal, não é alheio a isto a luminária que é ministro do Ambiente e o seu grupo, junto com
    Galamba!
    Esperemos que as cercas sanitárias sejam exercidas pelo MP para se saber as ligações destes ao lóbulo do H2.

  • Biden e o seu gang que depende do islamita Obama pondera “ “ deixar de comprar petróleo à Rússia, se ainda não perceberam os USA de hoje com a extrema esquerda no poder e qualquer acção contra Putin, talvez percebam e relembrem o crime de Clinton na Embaixada de Benghazi ao serviço do grupo de Obama é o grupo de globalistas de Soros, por ex.

  • ⁣⁣”Revealing Ukraine” [investigations on of the ongoing Ukrainian crisis following “Ukraine on Fire”]
    https://odysee.com/@stpierrs:f/%E2%81%A3Revealing-Ukraine–investigations-into-the-crisis-following-Ukraine-on-Fire-:4
    Ukraine On Fire 2016 – Oliver Stone
    https://odysee.com/@noname_52:5/Ukraine-On-Fire-2016-Oliver-Stone:9

  • En 2008 o preço do barril de petróleo chegou a 148US$, quanto custava um litro de gasóleo na altura?
    Do que nos tentam convencer o Ministro das Finanças e o outro inenarrável Ministro sem ambiente, sem falar no ajudante Galamba?
    A guerra aqui em Portugal é outra!
    Já agora foram escrutinados os votos e os resultados das eleições?
    Sobre o facto de Putin lançar una bomba nuclear táctica é mais que certo e até um teste, ficarão encolhidos como agora.
    Sabendo a NATO e os aliados com grande antecipação que Putin iria invadir a Ucrânia, negar ou dizer que não esperavam é conversa de embalar crianças.
    Sabiam, ou então estamos entregues a Serviços Secretos comprados pelo eixo Euroasiático, China e Rússia, pior com a colaboração dos USA, Israel e UK/Austrália, porque a França com este PR não conta, a Alemanha de Merkel e agora dos socialistas vendeu-se há muito à China, como aconteceu com Portugal.
    Este é o retrato do mundo actual, geo-político, Putin acelerou o que estava em curso.
    Quem perde?
    São os povos, estupidificados pelas elites intelectuais, mal formadas e sem a qualidade de outrora, hoje as carreiras universitárias não usam o mérito e o conhecimento e saber, hoje as Faculdades e Universidades não são locais de conhecimento e as hierarquias são dominadas pelo poder político e económico, projectando mediocridade em vez de conhecimento e muito menos mérito, basta ver a qualidade das teses e o desinvestimento das Universidades na investigação, apenas sobrando raríssimas excepções e essas não estão na Europa ou nas Américas.
    A chamada pandemia e as consequências da mesma, demonstram à exaustão o que os regimes das chamadas democracias liberais fizeram, às populações que foram humilhadas e açaimadas nos seus direitos, liberdades e garantias, espezinhando as suas Constituições por mais avançadas que fossem, criando um rebanho de pequenos putins, na Europa, na América do Norte e na Oceânia, sendo escusado apontar o dedo, porque os mais avisados decerto sabem enumerar que países, pisaram o risco.
    A invasão da Ucrânia foi um pequeno interegno, mas decerto mais cedo que o esperado, virá a ditadura próxima, baseada nas taxas de carbono e nos novos amanheceres proclamados pela messias, Greta, a ditadura das alterações climáticas que o bloco Euroasiático liderado pela China, tornando-se na nova e única superpotência sem necessitar dar um único tiro.
    Aconselho os mais jovens a aprender mandarim, eu estou-me marimbando para isso, já estou velho e cansado de tanta podridão porque há muito que o rei vai nu.

    • Disse no outro dia que lhe era indiferente se houvesse alguém que concordasse consigo ou não. No entanto, não me coíbo de dizer que concordo com muito do que diz, em especial que havia muita gente em posições de destaque e responsabilidade que sabia. Está aqui a génese dos problemas
      Sempre estive convencido que seria Rússia versus NATO, USA, União Europeia, e que era inevitável pela forma como se desenrolavam os acontecimentos e pelas opções escolhidas. Que a invasão da Ucrânia seria o palco, que os ucranianos seriam usados, sem qualquer respeito pela vida humana.
      Com frequência me pergunto se estou certo. Se as bases em que acredito estão certas, e porquê, se os raciocínios fundamentados nessas bases são lógicos, se as conclusões são honestas, se estão enviesadas por preconceitos, influências, manipulações, interesses(*), a que todos estamos sujeitos. Veja-se por exemplo a quantidade de imagens sobre os refugiados, a destruição, etc, que apelam às emoções e não à razão.
      Há quanto tempo culpamos Putin de “todos” os males?
      O tribunal penal internacional vai averiguar crimes de guerra russos. Ninguém pode estar contra (partamos do princípio que são honestos). E não vão investigar crimes de guerra praticados pela liderança ucraniana? Porquê? Serão eles puros?
      Ainda no outro dia vi uma suposto míssil russo que mais me pareceu vindo de muito perto de onde estavam a filmar, já para não dizer que foi quase um milagre terem estado a filmar exactamente aquele prédio e de vários lados no momento em que foi atingido.
      Depois de diabolizar alguém, é fácil culpa-lo de tudo, pois a formatação já está feita.
      Sobre o ensino, foi Mark Twain que disse : Fui educado uma vez, levei anos para superar isso.
      Não existe opinião pública. Há apenas opinião publicada.
      There is no such thing as public opinion. There is only published opinion. Winston Churchill
      *Qual é o meu? Tentar mostrar, provavelmente em vão, na minha opinião, o maquiavelismo dos que nos governam dos bastidores, governantes não eleitos, com interesses obscuros, em que os fins justificam os meios.

  • A censura aos meios de comunicação sociais russos.
    Será que há censura boa e censura má?
    Será que “meia dúzia” de meios de comunicação sociais russos, contra centenas de meios de comunicação sociais ocidentais, vão conseguir manipular a opinião pública ocidental? Alguém acredita nisso?
    Qual a razão da censura?
    Que legitimidade têm os governantes para tomar essa medida?
    É exactamente a mesma coisa que obrigar um juiz a ouvir um só lado e depois ter de tomar uma decisão.
    Devemos aceitar sermos sujeitos a esse tipo de manipulações?
    Somos nós tão imbecis, que precisamos dessa protecção?

  • Ora aqui está um bom forum de discussào sem ideias pré-concebidas, mas hoje é quase impossível isso acontecer.
    Quando as Big Tech controlam a informação em conluio com orgãos de comunicação que apenas falam aquilo que i dono lhes diz estamos muito perto de não saber o que poderá acontecer quando nos baterem à porta.
    Agradeço ao Senhor Prof Caldeira e a quem aqui escreve porque é excelente ter ideias e compartilhar conhecimento.
    Bem haja a todos vós!

  • Putin Tells Everyone Exactly Who Created ISIS
    Putin diz a todos exactamente quem criou o ISIS (claro que os americanos não ficaram satisfeitos com a verdade, ainda por cima dito por um presidente da república)
    https://www.youtube.com/watch?v=OQuceU3x2Ww
    .
    Entrevistas de Putin com Oliver Stone – Episódio 1
    https://www.youtube.com/watch?v=nmG5JXfExwk

  • Vladimir Putin’s Indictment Against the New World Order (porque haviam de gostar dele)
    https://www.youtube.com/watch?v=h7Qj_bN-LWo
    .
    FRENCH JOURNALIST CRITICIZED FOR REPORTING KIEV’S SHELLING OF EASTERN UKRAINE
    https://odysee.com/@repostasap:c/FRENCH-JOURNALIST-CRITICIZED-FOR-REPORTING-KIEV%E2%80%99S-SHELLING-OF-EASTERN-UKRAINE:a61

deixe um comentário