A ressaca da Covid chinesa

A acumulação de indícios de que a Covid chinesa teve origem numa fuga do vírus de um dos laboratórios de Wuhan, no qual se manipulavam geneticamente os vírus para maior transmissibilidade e letalidade em ordem a prevenir futuras epidemias do vírus (gain-of-function) ou no programa de armamento biológico aprovado pelo Partido Comunista Chinês, provocará uma reação contra o grande país asiático. Mesmo que minorado pelo financiamento chinês de projetos, negócios, moedas.

A ser verdade, a irresponsabilidade do Estado chinês constitui uma negligência desumana. Esse desprezo pela vida humana, especialmente pelas dos outros povos, também se verificou na falta de informação sobre a gravidade da epidemia e a continuação de fronteiras abertas enquanto as autoridades chinesas proibiam a circulação interna. Esse desprezo é uma evidência de racismo que gerará também reação nas outras sociedades.

A expansão chinesa vai ressentir-se do desprezo que a epidemia superlativizou. No âmbito regional, que inclui, nesta segunda fase, o cerco da Formosa para a reunificação territorial, depois da retoma de Hong Kong e Macau, a resistência dos vizinhos aumentará. No âmbito global, o consentimento da conquista de posições económicas, através da sua política de Cintura e Estrada, defronta-se com a revolta dos povos face à pandemia chinesa que dizimou gentes e arruinou as economias.

Nada será como dantes.


António Balbino Caldeira
Diretor

Partilhar

Latest comment

deixe um comentário