4 de fevereiro em Luanda

Luanda, fevereiro de 2020 (Inconveniente)

Preparam-se manifestações em Luanda de protesto pela situação económica e política para amanhã, dia 4 de fevereiro, de acordo com informação local.

A crise económica e social, decorrente da queda do preço do petróleo, do desvio de recursos financeiros do Estado para os detentores do poder político em vez do desenvolvimento do país, que provocaram a depreciação da moeda, tem provocado manifestações de descontentamento. Note-se que, ao câmbio oficial, o Kwanza vale hoje apenas um quarto do que há quatro anos: o euro valia 199 kwanzas em 7-1-2018 e em 2-2-2021 está cotado a 788. A desvalorização da moeda provoca a carestia dos produtos alimentares, pois ainda que Angola seja um país com grande fertilidade e recursos naturais, a produção agrícola foi muito afetada pela guerra civil e pela desorganização administrativa, económica e do trabalho. E o abastecimento alimentar é feito através da importação de alimentos cujo preço aumenta com as sucessivas desvalorizações, em contraste com o rendimento das populações.

A instabilidade não se circunscreve à capital. Na Lunda Norte, no dia 30-1-2021, a polícia terá disparado sobre manifestantes do Movimento Protetorado Lunda Tchokwe (MPLN), no Cafunfo, na província da Lunda Norte, e morto 15 pessoas, segundo declarou à Deutsche Welle, o seu presidente José Mateus Zecamutchima. A Ango cita fontes da polícia que admitem cinco mortes. A Lunda Norte, com grande riqueza diamantífera, bordeja o leste da República Democrática do Congo (ex-Zaire) onde decorre um conflito independentista desde 2004. Esta zona do sudeste do Congo tem sido flagelada pela guerra entre diferentes povos, alguns no vizinho Ruanda também devastado pela guerra. Salazar apoiou a revolta da independência do Katanga, chefiada por Moisés Tchombé, entre 1961 e 1967. Os gendarmes, ou tigres catangueses, nomes por que eram conhecidos combateram com o exército português em Angola, após o assassínio de Tchombé, em 1968, e juntaram-se às FAPLA, do governo do MPLA, após a independência.

O feriado do 4 de fevereiro celebra a data de início da guerra de independência de Angola, com o assalto à cadeia de São Paulo, na capital, em 1961, liderado pelo cónego Manuel Joaquim Mendes das Neves.


José Leite

Partilhar

Sem comentários

deixe um comentário