O acórdão do Tribunal da Relação de Lisboa, de 25-1-2024, que pronunciou José Sócrates por 22 crimes, incluindo 3 de corrupção, 13 de branqueamento de capitais e 6 de fraude fiscal e leva a julgamento Henrique Granadeiro e Zeinal Bava, constitui um resgate da justiça portuguesa.